" Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". João 3.16

Curiosidades


Curiosidades Bíblicas


REGRAS DE ESTUDO DA BÍBLIA

1º Parte 
Não vamos tratar aqui de regras de interpretação da Bíblia; isso é domínio de Hermenêutica. Trataremos de regras de estudo da Bíblia. Elas nos permitem tirar o máximo proveito espiritual da leitura e estudo das Santas Escrituras. São ora apresentadas, considerando os leitores como crentes salvos e desejosos de aprenderem a verdade contida na revelação divina. Quanto aos descrentes, impertinentes, indiferentes e escarnecedores, só temos a considerar 1Coríntios 2.14 e 2Coríntios 3.16.

Os títulos das regras que vamos dar, se considerarmos isoladamente, não oferecem muito sentido, porém, se considerados após a explanação da matéria que se lhes seguem, ver-se-á que eles ficam bem, resumidos como estão, facilitando, assim, o trabalho da memória.

Qualquer crente no Senhor Jesus Cristo pode estudar a Bíblia, uma vez que satisfaça certas regras de estudo, seja qual for o método utilizado pelo estudante. O estudo bíblico não é reservado a uns poucos favorecidos. Também, para tal, não há qualquer iniciação secreta. Deus nunca tencionou tornar difícil ou inacessível o estudo de sua Palavra, posto que o mesmo nos leva a conhecê-lo cada vez mais. Considere, pois, amado leitor, coisa de capital importância, o estudo sério, sistemático e diuturno das Santas Escrituras. É sumamente compensador em todos os sentidos.

Apresentaremos oito regras ao todo. Umas são criadas por nós, outras não. Tendo sido experimentadas estas regras, podemos garantir que elas funcionam eficazmente onde quer que forem observadas, como vai aqui descrito. Passemos, pois a considerá-las.

Sugestões para um maior aproveitamento na leitura da Palavra


1) A regra do autor 
A primeira regra para o êxito no estudo da Bíblia é conhecer o seu autor. O autor é Deus. Você o conhece? Conhecer, no sentido estrito da palavra, não é apenas ter contato, ser apresentado ou cumprimentado por alguém; é ter intimidade, andar ou conviver, enfim, comungar com este alguém. Perguntamos mais uma vez: você conhece o autor da Bíblia? É Ele o seu Salvador, Senhor e Mestre? Se não conhecemos o autor da Bíblia, estaremos desqualificados para o estudo e compreensão da revelação divina. Sem conhecer o autor tudo é difícil na Bíblia. De fato, a real compreensão da Palavra depende do nosso crescimento espiritual diante do Senhor (Mc 4.33; Jo 16.12 e Hb 5.13-14). Textos sobre a regra do autor: Lc 24.27,45 e At 16.14.

2) A regra da leitura sistemática 
Queremos dizer com isso: leitura seguida e total da Bíblia. Se o irmão não vem lendo a Bíblia de modo seguido e total, não se queixe de não compreendê-la. Como o leitor pensa compreender um livro que nem sequer o leu todo ainda? Não estamos falando, aqui, da leitura bíblica devocional, esta que se faz em nossos momentos a sós com Deus, dedicados exclusivamente à devoção e comunhão especial com Ele. Em se tratando de leitura da Bíblia como tal, dois métodos de estudo bíblico lhe estão afetos: o sintético e o analítico. O método sintético considera cada livro ou a Bíblia inteira como um todo. É por meio de tal método que se vê as divisões naturais de cada livro, bem como o seu desígnio especifico. O estudante da Bíblia deve ler cada livro várias vezes, sem interrupção, afim de se assenhorar de sua síntese. O método sintético não é tão laborioso, porque os livros da Bíblia são todos pequenos; mesmo os maiores podem ser lidos em poucas horas. No método sintético não se faz pausa para estudos prolongados. Faz-se esboços somente. O estudo bíblico, segundo este método, abrange a Bíblia como um todo, e de igual modo cada livro dela, e cada capítulo dentro de cada livro. Tenha você uma hora certa para leitura sistemática da Bíblia. A meditação diária nela é o segredo da vitória (Js 1.8).

O outro método fundamental para o estudo bíblico é o analítico. É o inverso do anterior. Você não irá longe no estudo analítico, se não cuidar antes no método sintético. Na forma analítica dividimos o estudo em partes para uma análise minuciosa, que pode ser de temas variados, inclusive doutrinas, personagens, tipos etc. Não há quem esgote a Bíblia, pois ela é infinita. Quanto mais a estudamos mais nos humilhamos, vendo a nossa pequenez e incapacidade ante a imponência, grandiosidade, profundeza e as riquezas da revelação divina em todos os seus múltiplos aspectos. Este é o nosso testemunho.

A regra de leitura sistemática pode parecer simples, mas é produtiva e surge efeitos maravilhosos. Jamais será vã. Já que estamos tratando da leitura bíblica, é confortante saber que a Bíblia é o único livro cujo autor está sempre presente, quando se o lê. Sim, o autor da Bíblia é onipresente. Textos sobre regra da leitura sistemática: Dt 17.19; Sl 119.130; 1Tm 4.13 e Is 34.16.

3) A regra da oração 
Você não irá muito longe no estudo da Bíblia enquanto não começar aprender a orar. Pedras preciosas podem ser encontradas na superfície da terra. Porém, geralmente, é preciso cavar. A oração evidencia a nossa dependência do Pai Celestial, nossa vontade, fome, amor à verdade e humildade. Orar é falar com Deus, sendo assim um diálogo, não um monólogo. Na oração e meditação diante de Deus, Ele revela as suas grandezas. Temos exemplos na Bíblia. Bastam estas palavras sobre oração, porque a melhor maneira de aprendermos a orar é praticando. Textos sobre a regra da oração: Tg 1.5; Pv 2.3-5; Sl 119.18 e Ef 1.16-17.

4) A regra do Mestre 
O mestre que nos ensina a Palavra de Deus é o Espírito Santo. Não há outro. Se não tivermos o Mestre conosco, nada aprenderemos. Ele é o Santo Espírito revelador (Ef 1.17). Só Ele conhece as coisas profundas de Deus (Rm 8.27). Deixe o Espírito Santo fluir livremente em sua vida e terá o Mestre consigo, para guiá-lo “em toda a verdade” (Jo 16.13). Textos para regra do Mestre: 1Co 2.10-12 e Jo 10.25. 

5) A regra da obediência 
Deus não revela a sua verdade aos que são apenas curiosos, sem qualquer propósito de lhe obedecerem, mas aos humildes que se quedam aos seus pés e lhe obedecem por gratidão e amor. A humildade e piedade são virtudes essenciais no estudo das Escrituras (Lc 12.47-48). O espírito da desobediência paira nestes dias por toda a parte: nos meios domésticos, eclesiásticos, estudantis, etc. A obediência à verdade divina, revelada nas Escrituras, é um fato de progresso para o seu conhecimento. A desobediência contumaz à Deus, à sua vontade, suas leis, fecha a porta às suas bênçãos. Textos sobre a regra da obediência: Ed 7.10; Jo 7.17-18 e Sl 25.14.

6) A regra da fé 
A Bíblia é aceita primeiro pela fé e depois pela razão. Noutras palavras: a revelação divina transcende os limites intelectuais do homem. Por exemplo: o fato de a criação do universo (confronte Gn 1.1 com Hb 11.3). Se o leitor não aceitar, pela fé, a autoridade das Santas Escrituras neste e em inúmeros outros passos bíblicos semelhantes, está desqualificado para compreender a verdade divina. É preciso que o leitor tenha a Bíblia como a autoridade final, infalível e perfeita nos assuntos por ela tratados.

Deus declara um fato e você cuida em crer nisso, porque Ele não se inclinará, para satisfazer a sua curiosidade, ou por outra, para revelar coisas que você não pode comportar, ou para as quais você e eu não estamos preparados. Textos sobre a regra da fé: Lc 24.25; 2Pd 1.21 e 2Tm 3.16-17.

7) A regra do crescimento espiritual 
Nunca pare de crescer no sentido espiritual. O conhecimento das coisas de Deus vem de acordo com a nossa capacidade de recebê-lo, contê-lo, e assimilá-lo. O crescimento espiritual vem, em parte, pela obediência a verdade revelada. Privilégios implicam responsabilidade. Somos responsáveis pela verdade a nós revelada. Paulo não pôde ensinar verdades bíblicas mais profundas aos crentes de Corinto, porque os mesmos não queriam deixar de ser “crianças” (1Co 3.1).

Em Marcos 4.33, Jesus ensinou aos seus, conforme a capacidade dos mesmos em receberem o seu ensino. É o que vemos também em Hebreus 5.13-14; a falta do crescimento espiritual é um entrave no conhecimento das coisas divinas. Os textos sobre a regra do crescimento espiritual são os mesmos da regra anterior. 

8) A regra dos meios auxiliares 
Esses meios auxiliares são três, os quais provêem material de estudo, consulta e referência. O texto de 2Timóteo 4.13 nos leva para o campo das fontes de consulta. Aí, se fala de livros. Por certo, os da Bíblia e outros que o apóstolo possuía.

A) Livros
 Há livros bons (2Tm 4.13). Há muito mais livros maus, perniciosos, venenosos como os de Atos 19.19. Resista também à tentação de levar mais tempo com os livros do que com a Bíblia. Quem fica todo o tempo só com os livros, torna-se um teórico e autêntico refletor de seus autores.

Aqui está uma sugestão de alguns livros que o estudante da Bíblia deve possuir:

•Uma boa e atualizada versão da Bíblia;
• Demais versões em vernáculo, para estudo comparativo; Uma boa Concordância e um Atlas Bíblico;
• Um Manual de Síntese Bíblica ou Chave Bíblica;
• Um Dicionário Bíblico de confiança;
• Um bom dicionário da língua portuguesa;
• Um Manual de Doutrinas Fundamentais (Teologia Sistemática);
• Um ou mais comentários gerais sobre a Bíblia (busque conselho do seu pastor quanto à indicação destes).

B)Apontamentos individuais.
 Esses podem ser de três maneiras:
• Apontamentos de estudos individuais;
• Apontamentos de estudos ouvidos;
• Apontamentos de estudos lidos; A memória falha com o tempo. O melhor é tomar notas. Isso não significa perder a confiança na operação do Espírito Santo. Se fosse assim, não seria preciso Deus ter-nos provido a Bíblia em forma escrita. Habitue-se a tomar notas de seus estudos individuais, distribuindo-os por assuntos previamente escolhidos. Se você tem livros, organize um índice analítico de assuntos, o qual poderá prestar bons serviços na elaboração de seus estudos. Apontamentos enriquecem o cabedal de conhecimentos do estudante da Bíblia. A “memória” do apontamento feito nunca falha, se feita e conservada de modo organizado.  



Você sabia que...
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Jesus Cristo é tema central das Escrituras.
Se olharmos com muito cuidado, veremos que em tipos, figuras, símbolos e profecias, Jesus ocupa o lugar central das Santas Escrituras.
Vejamos:

LivroDescrição
Em GênesisEle é o Descendente da mulher
Em ÊxodoEle é o nosso Cordeiro Pascal
Em LeviticoEle é o nosso Sacrifício pelo pecado
Em NúmerosEle é aquele que foi Levantado para nossa Salvação
Em DeuteronômioEle é o verdadeiro Profeta
Em JosuéEle é o Capitão da nossa salvação
Em JuízesEle é o nosso Juiz e Libertador
Em RuteEle é o nosso parente Resgatador
Em Samuel, Reis e CrônicasEle é o nosso Rei
Em Esdras e NeemiasEle é o nosso Restaurador
Em EsterEle é o nosso Advogado
Em JóEle é o nosso Redentor que vive
Em SalmosEle é o nosso Socorro e Alegria
Em ProvérbiosEle é a Sabedoria de Deus
Em EclesiastesEle é o Alvo Verdadeiro
Em Cantares de SalomãoEle é o Amado de nossas Almas
Em IsaiasEle é o Messias Prometido
Em Jeremias e LamentaçõesEle é o Renovo da Justiça
Em EzequielEle é o Filho do Homem
Em DanielEle é o Quarto Homem na Fornalha
Em OséiasEle é aquele que Orienta o Desviado
Em JoelEle é o Restaurador Divino
Em AmósEle é o Divino Lavrador
Em ObadiasEle é o nosso Salvador
Em JonasEle é a nossa Ressurreição e Vida
Em MiquéiasEle é a Testemunha contra as nações rebeldes
Em NaumEle é a Fortaleza no Dia da Angustia
Em HabacuqueEle é o Deus da nossa Salvação
Em SofoniasEle é o Senhor Zeloso
Em AgeuEle é o Desejado de todas as nações
Em ZacariasEle é o Renovo da Justiça
Em MalaquiasEle é o Sol da Justiça
Em MateusEle é a Promessa Viva
Em MarcosEle é o Servo de Deus
Em LucasEle é o Filho do Homem
Em JoãoEle é o Filho de Deus
Em AtosEle é o Senhor Redivino
Em RomanosEle é a nossa Justiça
Em I e II CoríntiosEle é o Senhor e a nossa Suficiência
Em GálatasEle é o nosso Libertador do jugo da lei
Em EfésiosEle é o nosso Tudo em Todos
Em FilipensesEle é a nossa Alegria
Em ColossensesEle é a nossa Vida
Em I e II TessalonicensesEle é Senhor que irá Voltar
Em I e II TimoteoEle é o nosso Mestre e Exemplo
Em TitoEle é o nosso Modelo
Em FilemonEle é o nosso Senhor e Mestre
Em HebreusEle é o nosso Intercessor junto ao trono de Deus
Em TiagoEle é o nosso Modelo da Verdade
Em I e II PedroEle é a nossa Força e a Pedra Angular de nossa Fé
Em I,II e III JoãoEle é a nossa Vida, a nossa Verdade e o nosso Caminho
Em JudasEle é o nosso Protetor
Em ApocalipseEle é o nosso Rei Triunfante.

Você sabia que...
Judas Iscariotes não morreu enforcado.
Judas foi se enforcar em uma arvore, mais algo aconteceu e o galho ou a corda se rompeu e Judas despencou e seus órgãos se derramaram pelo chão. Irmãos, convinha que se cumprisse a escritura que o Espírito Santo predisse pela boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam a Jesus; pois ele era contado entre nós e teve parte neste ministério. Ora, ele adquiriu um campo com o salário da sua iniqüidade; e precipitando-se, caiu prostrado e arrebentou pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram (Atos 1:16-18).
Você sabia que...
Os Continentes eram unidos .
A ciência descobriu a pouco tempo aquilo que a Bíblia sempre disse : que a terra surgiu das águas (Sl 104:6) e que no início todos os continentes eram unidos. " E disse Deus: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu, e apareça o elemento seco. E assim foi. Chamou Deus ao elemento seco terra, e ao ajuntamento das águas mares. E viu Deus que isso era bom." (Gn 1:9,10).
Você sabia que...
A Terra é arredondada ?
Durante muitos anos a ciência afirmou que a Terra era plana, e Galileu Galilei discordou e disse que a Terra era redonda. Por isso foi condenado a morte pela igreja católica . Mas a Bíblia sempre desmentiu a Ciência e o catolicismo confirmando a teoria de Galileu Galilei, que mas tarde foi ratificada pela Ciência. E a igreja Católica foi obrigada a pedir perdão. " E ele o que está assentado sobre a redondeza da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e o desenrola como tenda para nela habitar." Isaias 40:22
Você sabia que...
No interior da Terra há fogo ?
A ciência descobriu a pouco tempo aquilo que a Bíblia sempre disse : que no interior da Terra há fogo. "Quanto à terra, dela procede o pão, mas por baixo é revolvida como por fogo." (Jó 28:5)
Você sabia que...
O Hipopótamo é a obra-prima dos feitos de Deus.
"Contempla agora o hipopótamo, que eu criei como a ti, que come a erva como o boi. Eis que a sua força está nos seus lombos, e o seu poder nos músculos do seu ventre. Ele enrija a sua cauda como o cedro; os nervos das suas coxas são entretecidos. Os seus ossos são como tubos de bronze, as suas costelas como barras de ferro. Ele é obra prima dos feitos de Deus; aquele que o fez o proveu da sua espada." (Jó 40:15-19)
Você sabia que...
O Crocodilo é o rei dos animais ?
" Poderás tirar com anzol o crocodilo, ou apertar-lhe a língua com uma corda? Na terra não tem igual a ele ; pois foi feito para nunca ter medo. Ele vê com desprezo tudo o que é alto; é rei sobre todos os animais orgulhosos." (Jó 41:1,33,34)
Você sabia que...
Os anjos são mais fortes e mais poderosos que os homens ?
O homem foi criado por Deus num estágio inferior aos anjos. "Que é o homem, para que te lembres dele? ou o filho do homem, para que o visites? Fizeste-o um pouco menor que os anjos, de glória e de honra o coroaste "(Hb2:6,7) " enquanto que os anjos, embora maiores em força e poder, não pronunciam contra eles juízo blasfemo diante do Senhor." (2ª Pedro 2:11)

Nenhum comentário:

Postar um comentário