" Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". João 3.16

História das Assembléias de Deus no Brasil



"... Pouco tempo depois, Gunnar Vingren participou de uma convenção de igrejas batistas, em Chicago. Essas igrejas aceitaram o Movimento Pentecostal. Ali ele conheceu outro jovem sueco que se chamava Daniel Berg. Esse jovem também fora batizado com o Espírito Santo." ... leia mais!



A HARPA CRISTÃ, O HINÁRIO OFICIAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL.


O QUE É A HARPA CRISTÃ?

A Harpa Cristã é o hinário oficial das Assembleias de Deus no Brasil. Ela foi especialmente organizada com o objetivo de enlevar o cântico congregacional e proporcionar o louvor a Deus nas diversas liturgias da igreja: culto público, santa ceia, batismo, casamento, apresentação de crianças, funeral, etc.

A sua primeira finalidade é transformar nossas igrejas e congregações em comunidades de perfeita adoração ao Único e Verdadeiro Deus. Não pode haver igreja sem louvor... leia mais!



Primeira transmissão de programa pioneiro do radioevangelismo brasileiro foi ao ar há 55 anos!


No dia 2 de janeiro de 1955 foi ao ar pela primeira vez o programa de rádio Voz das Assembleias de Deus. Pioneiro do radioevangelismo brasileiro, o programa foi iniciado pelo missionário Nels Lawrence Olson, e transmitido pela rádio Tamoio, do Rio de Janeiro, e para outras partes do Brasil pelas rádios Tupi, Mayrink Veiga, Copacabana, Relógio, Mundial, Atalaia, Marumby, Boas Novas, e por mais oito rádios em outros Estados... leia mais!



GUNNAR VINGREN E DANIEL BERG VIAJARAM 14 DIAS PARA CHEGAR AO PARÁ
Em 1917, Almeida Sobrinho e João Trigueiro, lançaram o Voz da Verdade. O jornal circulou durante apenas dois meses!


Gunnar Vingren e Daniel Berg chegaram à cidade de Belém, capital do Estado do Pará, no dia 19 de novembro de 1910. Eles viajaram durante 14 dias como passageiros do navio Clement que veio de Nova Iorque, Estados Unidos e atracou no porto de Belém. Gunnar Vingren estava com 31 anos de idade nesta época e Daniel Berg com 26 anos.
Dois brasileiros lançaram o primeiro jornal pentecostal publicado no Brasil
Antes de os missionários Gunnar Vingren e Samuel Nyström começarem a editar o jornal pioneiro Boa Semente, Almeida Sobrinho e João Trigueiro, lançaram em 1917 o Voz da Verdade. Almeida Sobrinho, um pastor batista que se tornara pentecostal, era o redator-responsável e era auxiliado por João Trigueiro da Silva. Não era o órgão oficial da Missão de Fé Apostólica (como era conhecida a Assembléia de Deus em seus primeiros anos), pois atendia também a três outras igrejas da cidade, as quais criam nas mesmas verdades da doutrina do Espírito Santo. Essas igrejas eram pastoreadas por Almeida Sobrinho... leia mais!


A História do Movimento Pentecostal

No Dia de Pentecostes (33 d.C.), quando o Espírito Santo veio sobre os discípulos, dez dias após Jesus ter subido aos céus, eles começaram a demonstrar manifestações miraculosas, incluindo línguas estranhas, discernimento de espíritos, profecias e dons de curar. O evento se repetiu em Samaria, Damasco, Cesaréia e Éfeso (At 2.1-13; 8.14-17; 9.17,18; 10.44-46; 19.1-7). Imediatamente depois do Dia de Pentecostes, os discípulos começaram a espalhar o evangelho por todo o mundo conhecido. Portanto, o Pentecostes foi o prelúdio, o início de outros Pentecostes que a história registra.

Por volta de 96 d.C., Clemente, bispo de Roma, e Inácio, bispo de Antioquia, documentaram a continuidade da operação dos dons proféticos. No segundo século temos os registros e testemunhos de Justino, o Mártir (100-165); Ireneu de Lyon (França) (115-202); Hipólito de Roma (160-235); montanismo na Frígia (150); Teófilo de Antioquia (181) e Tertuliano (160-220). Entre as manifestações espirituais registradas, estão: profecias, revelações, discernimento de espíritos, libertação de endemoninhados, línguas estranhas, curas, milagres, ressurreição de mortos e outros dons espirituais.

Do terceiro século até ao início do século 20, há centenas de registros e testemunhos de manifestações espirituais vivenciados por crentes em diferentes partes do mundo. Pesquisadores renomados estimam que, em 1900, chegava a 981.400 pessoas o total mundial de pentecostais, carismáticos e neocarismáticos.  O século 20 inicia com o testemunho do batismo no Espírito Santo da evangelista da Santidade, Agnes Ozman, em 1º de janeiro de 1901, aluna do pastor metodista, Charles Fox Parham, em Topeka, Kansas, EUA. O avivamento pentecostal cresce por todas as partes dos Estados Unidos, tendo o seu ponto alto o despertamento da Rua Azusa 312, em Los Angeles, Califórnia, com o pastor William Joseph Seymour. O que ocorre em outras partes do mundo como na Suécia, Noruega, Finlândia, Índia, Coréia do Sul, País de Gales, Inglaterra, Suíça, Canadá, China, Egito, Chile, México, Congo, Argentina, Peru, Bulgária, Guatemala, Porto Rico, Rússia e Ucrânia.

No Brasil, o pastor batista Paulo Malaquias recebeu o batismo no Espírito Santo em 1908, Ramada, Ijuí, Rio Grande do Sul, e o pastor leto-batista Pedro Graudin teve a mesma experiência em 1909, em Guaramirim (Bananal), Santa Catarina (Brasil); Neste mesmo ano, Karlis Andermanis, pastor da Igreja leto-batista de Rio Novo (Santa Catarina), recebeu o batismo no Espírito Santo com o falar em línguas estranhas. Com a chegada do ítalo-americano Luigi Francescon ao Brasil, houve batismos no Espírito Santo em Santo Antonio da Platina (PR), em 20 de abril de 1910, e em São Paulo, em 20 de junho de 1910, dando origem à Congregação Cristã do Brasil.

Em 10 de junho de 1911, a crente batista, Celina Albuquerque, recebeu o batismo no Espírito Santo, na cidade de Belém do Pará, em confirmação à pregação pentecostal de Gunnar Vingren e Daniel Berg, dando início à Missão da Fé Apostólica, posteriormente, Assembleia de Deus. Nas décadas de 40 e 50 são iniciados os movimentos de renovação espiritual entre os batistas tradicionais brasileiros, dando origem à Convenção Batista Nacional na década de 60. Nos anos 50 começam as cruzadas de milagres e curas em tendas que deram origem à Igreja Quadrangular do Brasil e a outras denominações pentecostais. Nas décadas  de 60 e 70 irrompeu o avivamento pentecostal entre presbiterianos e metodistas que deu origem a dois destacados movimentos, a Igreja Presbiteriana Renovada e os Metodistas Wesleianos.

Em todo o mundo, no ano 2000, os crentes pentecostais, carismáticos e neocarismáticos chegavam a 523.767.390 pessoas.  No Brasil, segundo o Censo do IBGE do ano 2000, os pentecostais totalizavam 17.617.307, ou 67,2% dos 26.184.941 evangélicos brasileiros...    Leia mais!!!

Fonte:
Dicionário do Movimento Pentecostal, Isael de Araujo, Rio de Janeiro, CPAD, 2007: verbetes “Cronologia do Pentecostalismo Mundial”, pp. 231-243 e “Cronologia do Pentecostalismo no Brasil, pp. 243-247.

http://www.cpad.com.br/cemp/historia.php?nossahistoria





História da CGADB

A história da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil – CGADB dá-se no ano de 1930. Após três décadas do surgimento no país das Assembléias de Deus, devido ao estupendo crescimento do movimento pentecostal iniciado pelos missionários Daniel Berg e Gunnar Vingren, os pastores das Assembléias de Deus resolveram que já era tempo de se criar uma organização que estabeleceria o espaço para discussão de temas de máxima relevância para o crescimento da denominação.

 A CGADB foi idealizada pelos pastores nacionais, visto que a igreja estava na responsabilidade dos missionários suecos e deram os primeiros passos em reunião preliminar realizada na cidade de Natal-RN em 17 e 18 de fevereiro do ano de 1929. A primeira Assembléia Geral da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil foi realizada entre os dias 5 e 10 de setembro, onde se reuniram a maioria dos pastores nacionais e os missionários que atuavam no país. Foi nessa Assembléia Convencional que os missionários suecos transferiram a liderança das Assembléias de Deus no Brasil para os pastores brasileiros. Nesta mesma reunião que liderança nacional decidiu-se por se criar um veículo de divulgação do evangelho e também dos trabalhos então realizados pelas Assembléias de Deus em todo o território nacional. Estava lançada a semente do que viria a ser o atual jornal Mensageiro da Paz. Com a rápida repercussão nacional, o periódico, então dirigido pelo missionário Gunnar Vingren, tornou-se o órgão oficial das Assembléias de Deus no Brasil.

As primeiras resoluções emanadas em Assembléias Convencionais de pastores das Assembléias de Deus, foram emitidas nas Assembléias Gerais dos anos de 1933 a 1938. Nessas Assembléias Gerais deram-se longos debates sobre as características e identidade da igreja, o que hoje são por nós conhecidas como “usos e costumes”. As primeiras resoluções também tratavam acerca de alguns pontos doutrinários, principalmente no que se referia a conduta dos obreiros e que deveriam caracterizar a igreja sendo adotados por todas as Assembléias de Deus no Brasil. A igreja experimentava um extraordinário crescimento e chegava aos mais longínquos recantos do país. Entre os anos de 1938 e 1945, quando deu-se os rumores e finalmente o transcorrer da 2ª Grande Guerra Mundial, os lideres das Assembléias de Deus tinham enormes dificuldades de se locomoverem pelo país, e por causa desse fator não foram realizadas nenhuma assembléia convencional dos anos de 1939 e 1945.

 Finalmente em 1946, em Assembléia Geral Ordinária realizada na cidade de Recife-PE os pastores das Assembléias de Deus de todo o país decidiram-se por tornar a CGADB em uma pessoa jurídica, com a responsabilidade de representar a igreja perante as autoridades governamentais, bem como a todos os segmentos da sociedade. O primeiro Estatuto apresentou como principais objetivos da CGADB: “promover a união e incentivar o progresso moral e espiritual das Assembléias de Deus; manter e propugnar o desenvolvimento da Casa Publicadora das Assembléias de Deus” e principalmente a aproximação das Assembléia de Deus no país: “Nenhuma Assembléia de Deus poderá viver isoladamente, sendo obrigatória a interligação das Assembléias de Deus no Brasil, com a finalidade de determinar a responsabilidade perante a Convenção Geral e perante as autoridades constituídas”. As Assembléias Gerais realizadas nas décadas seguintes foram marcadas por discussões e debates sobre temas relacionados as doutrinas bíblicas básicas e por projetos de desenvolvimento da Obra de Deus.
Em 1989, a CGADB promoveu uma Assembléia Geral Extraordinária na cidade de Salvador-BA, quando foi decidido pelo desligamento dos pastores do Ministério de Madureira, por força de dispositivo estatutário que impede ao ministro pertencer a mais de uma convenção nacional. Os ministros do Ministério de Madureira optaram por manter a existência da então recém criada Convenção Nacional de Ministros da AD de Madureira (CONAMAD), abrindo com isso uma dissidência na igreja.

Os anos 90 marcam uma nova fase de crescimento das Assembléias de Deus no Brasil. Em maior parte, os resultados apresentados nesse novo período de crescimento dão-se, claramente, decorrente de medidas tomadas pela CGADB durante essa década. Sob a liderança do Pr. José Wellington Bezerra da Costa, a principal decisão foi a implantação do projeto Década da Colheita, um esforço evangelístico que envolveu praticamente toda a igreja no Brasil. O censo do IBGE de 2000 mostrou, em comparação com último censo de 1991, o quando a AD cresceu nos últimos dez anos do século 20.

Assombrada pelo vultuoso crescimento da igreja e pela necessidade de um espaço mais adequado para o desenvolvimento de suas atividades, a CGADB inaugurou no dia 26 de novembro de 1996, sua nova sede, no bairro da Vila da Penha, cidade do Rio de Janeiro - RJ, em um moderno edifício de 4 andares, onde disponibilizados salas administrativas e um auditório com capacidade para 700 pessoas, além de anexo onde está instalada a EMAD – Escola de Missões das Assembléias de Deus e uma ampla loja da CPAD – Casa Publicadora das Assembléias de Deus.

 Neste início de século 21, a Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil continua implantando um projeto de desenvolvimento de sua participação mais ativa na sociedade do nosso querido país. Criou-se o Conselho Político da CGADB que tem por finalidade coordenar o projeto “Cidadania AD Brasil”, que desenvolve a consciência política na liderança das Assembléias de Deus no Brasil e gerencia o lançamento de candidatos oficiais da denominação nos pleitos eleitorais em todo Brasil. Hoje as Assembléias de Deus contam com 22 deputados federais, 38 deputados estaduais e 1.010 vereadores. Na área cultural, a CGADB inova com o ambicioso projeto de implantação da Faculdade Evangélica de Ciências, Tecnologia e Biotecnologia da CGADB – FAECAD, ofercendo a princípio quatro curso: administração de empresas, comércio exterior, direito e teologia. A FAECAD já obteve o reconhecimento do MEC e as atividades da mesma começaram no mês de agosto de 2005.

 Os frutos de um trabalho volumoso que vem sendo empreendido na liderança do Pr. José Wellington Bezerra da Costa, juntamente com a Mesa Diretora, continuam a serem colhidos pela Convenção Geral e face as comemorações dos 75 anos de existência de nossa querida CGADB, temos no Senhor Jesus, o galardoador fiel, nossa gratidão. E a cada dia que olhamos para o gigantesco trabalho que tem se tornado a Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, devemos louvar ao Senhor, rendendo-lhe a mais tenra adoração e gratidão, e ainda sim, pedir graça ao bom Deus no intuito de continuar iluminando nossa liderança maior, a fim de que esta obra faça avançar o Reino de Deus na Terra. Diz a Palavra de Deus: “Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças.” Ec 9.10.
Última atualização (Sex, 08 de Janeiro de 2010 18:46)


Nenhum comentário:

Postar um comentário